Roubo de carga e falta de informação por parte dos Correios

As encomendas que deveriam ser entregues na Agência dos Correio da cidade de Pau Brasil no dia 28/11/21016 não chegaram na Agência. Conforme informações dos funcionários, as remessas se encontravam em um caminhão que supostamente fora assaltado na entrada de Jussari. Os clientes não receberam qualquer informação oficial dos Correios, e tampouco puderam ter acesso ao destino dado as encomendas através dos canais oficiais, inclusive na seção de rastreamento dos Correios via internet.

Ontem um dos clientes ouviu a conversa telefônica que partiu da agência de Pau Brasil, na qual um funcionário comentava ao telefone no balcão de serviços que nem toda carga foi roubada, segundo informação do Correio de Jussari, e que as encomendas roubadas foram aleatoriamente selecionadas na carga. Ouviu também que o filho deste mesmo motorista já havia sido assaltado antes. Hoje, novamente, as  encomendas não chegaram pela manhã, tendo atrasado a entrega em razão do mesmo motorista que fora assaltado ontem ter ficado novamente incumbido de trazer as encomendas de hoje, terça-feira, para Pau Brasil, tendo que também parar para prestar depoimento na Delegacia de Arataca, mesmo estando conduzindo a carga postal. Quando questionado pela reportagem em relação a estranheza da situação de ter sido o condutor do caminhão de transporte de hoje a mesma pessoa que teria que parar para prestar depoimento no caminho, um funcionário justificou que este serviço está sendo realizado por empresa terceirizada. O cliente Samuel Wanderley, que estava presente na agência, reclamou à reportagem alegando entender que os Correios têm como obrigação prestar informações claras e imediatas em relação as encomendas que são propriedades dos clientes do serviço postal, e que foram entregues em confiança aos Correios para transporte, que esta ocorrência de assalto fora uma excepcionalidade e que precisa ser tratada como tal, ficando a prestadora de serviço de encomenda obrigada imediatamente à prestar as informações de situação da carga e tempo para desembaraçamento. O cliente alega que foi pago SEDEX pela sua encomenda e que, sendo encomenda urgente já atrasada deste quinta feira passada, dia 24/11, o absurdo da falta de informações se torna ainda mais grave. Disse também que os funcionários da agencia alegaram não possuir obrigação de lhes prestar informação, que recorresse ao 0800 dos correios, e que a encomenda não era propriedade deste enquanto não lhe fora entregue, alegação que o cliente não aceita como justificativa. O cliente também alega que, após o furto, os correios alteraram o prazo de entrega de 03 para 05 dias, conforme copia do rastreamento encaminhada pelo mesmo à esta reportagem.

comparacao_rastreamento

Deixe um comentário

Faça o login usando um destes métodos para comentar:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s